Home / Casos / Drones para auxiliar no controle de ervas daninhas
Remote control drone flying in mid air over a field
Remote control drone flying in mid air over a field

Drones para auxiliar no controle de ervas daninhas

O último lugar que você pode imaginar encontrar drones e exploradores é em um milharal, mas eles podem se juntar aos tratores e às máquinas na lista de ferramentas agrícolas essenciais dos fazendeiros, graças ao seu potencial para reduzir o uso de pesticidas e elevar a quantidade de culturas que podem ser cultivadas.

Isso é parte de um movimento chamado agricultura de precisão, onde fazendeiros utilizam equipamentos para monitorar suas colheitas e responder aos problemas quando e onde eles ocorrem, ao invés de aplicar as soluções ao campo inteiro.

O Problema
Os danos do uso excessivo de pesticidas no meio ambiente já eram assunto em 1962, no livro “Silent Spring” de Rachel Carson, que leva o crédito de ter sido o início do movimento de conservação.

A União Europeia aplica restrições a certos pesticidas que contêm neonicotinóides, o que está ligado ao colapso das populações de abelhas na Europa.

Em 2014, um estudo na União Europeia destacou os benefícios da agricultura de precisão. O uso deste método pode reduzir o escoamento de pesticidas e fertilizantes, o que pode causar grande dano ao meio ambiente local.

O Dr. José M. Peña do Instituto de Agricultura Sustentável em Córdoba, Espanha, conduziu o projeto TOAS, financiado pela UE, onde drones foram utilizados para criar mapas de infestações de ervas daninhas para que fazendeiros pudessem localizar com exatidão quais áreas tratar.

‘Na Europa, 60% dos pesticidas que aplicamos são herbicidas para controlar ervas daninhas,’ disse o Dr. Peña. ‘(Com) a tecnologia aplicada na colheita, nós podemos reduzir radicalmente o uso destes produtos químicos, e isso é de grande benefício para o meio ambiente e os fazendeiros.’

Dr. Peña e sua equipe utilizaram drones e tecnologia de análise de imagens, que detectam as menores diferenças na cor do campo, para descobrir a vegetação e as ervas daninhas. No entanto, ervas daninhas e cultivos que estão brotando podem parecer similar no início, quando os cultivos estão mais vulneráveis.

A solução envolve examinar os padrões dos cultivos através das imagens. ‘Nós sabemos que os cultivos seguem um padrão, e a vegetação que está fora do padrão é classificada como ervas daninhas,’ diz o Dr. Peña. ‘Assim, nós podemos integrar informação espectral (e) também a posição e o formato das plantas no software para detectar quais são ervas daninhas.’

Os fazendeiros podem aplicar os herbicidas nas áreas específicas, monitorar a evolução dos cultivos com o tempo, e criar um mapa 3D realista de sua colheita utilizando fotos aéreas de múltiplos pontos.

Drones de pesquisa programados para reconhecer ervas daninhas dentro do padrão normal de cultivos. Imagem cortesia do TOAS

Milho, azeitonas

Após analisar, primeiramente, os milharais e os olivais, a equipe descobriu que a tecnologia funcionava com outros cultivos como girassóis, amêndoas e uvas.

‘Isso demonstra que a tecnologia e o projeto podem ir mais longe do que a ideia original,’ afirma o Dr. Peña. ‘Assim, nós obtivemos um alto índice de precisão – nós pudemos detectar mais de 95% das ervas daninhas na colheita. Uma coisa importante é que nós pudemos detectar partes do campo onde não há infestação. Este lugar é a parte onde o fazendeiro não precisa aplicar o herbicida.’

Localizar as ervas daninhas é apenas metade da tarefa, e os pesquisadores de vários locais estão desenvolvendo veículos terrestres não tripulados, ou exploradores, que podem completar o trabalho ao se livrar das ervas daninhas.

“Nós podemos reduzir radicalmente o uso dos produtos químicos e isso é de benefício para o meio ambiente e para o fazendeiro.” Dr. José M. Peña, do Instituto de Agricultura Sustentável, Espanha.

‘O que nós estamos fazendo é demonstrar que pode ser feito de forma totalmente automática,’ diz o Professor Roland Siegwart do ETH em Zurique, na Suíça, que conduz um projeto financiado pela UE chamado FLOURISH, para desenvolver um protótipo de um sistema integrado de drone.

Ao analisar diferentes características dos cultivos, como altura e cobertura das copas, o drone pode comunicar as áreas que necessitam de atenção a um explorador não tripulado em terra. O explorador então remove as ervas daninhas, aplica o pesticida na área específica, ou destaca as áreas que podem necessitar de fertilizante extra para o fazendeiro.

O Professor Siegwart diz que isso pode levar ao uso mais eficiente de pesticidas. ‘Eu estimo que uma fração muito pequena de todos os produtos químicos que são utilizados nas colheitas causa realmente algum impacto,’ ele diz. ‘Se tivermos mais informações, é possível atingir maior eficiência. Com 100 vezes menos produtos químicos, você tem exatamente o mesmo efeito.’

Pesquisas avançadas em tecnologia agrícola também podem ter sido benéficas para remover o estigma da tecnologia de drones, já que auxilia a resolver problemas como o meio de produzir alimentos para uma população crescente.

‘Tipicamente, nós dizemos que cerca de 20-30% de toda a produção de alimentos no campo está perdida por problemas do campo. Se você conseguir reduzir esse percentual, isso pode ajudar a alimentar a sociedade do mundo inteiro.’

Drones para auxiliar no controle de ervas daninhas обновлено: Abril 14, 2016 автором: admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*