Home / Casos / Ganhos Espaciais
SpaceProfits

Ganhos Espaciais

De acordo com a pesquisa de mercado agrícola fornecida pela Ernst & Young, um terço dos entrevistados russos colocam o aumento da eficiência em segundo lugar na hierarquia de prioridades dos seus negócios. Além disso, mais de 90% deles concordam com o fato de que benefícios maiores provêm de valorização de ganhos ativos do que modernização e aquisição de novos. Se o problema da eficiência existe, o que é e como pode ser resolvido?

A Federação Russa é uma das maiores produtoras e fornecedoras de cultivos. De acordo com o FAO (2010), ela obteve o 1º, 3º, 5º e 6º lugar em produção de trigo, beterraba-sacarina, girassol e milho, respectivamente. No entanto, é necessário considerar a eficiência dos recursos explorados no agronegócio. Por exemplo, no que se refere ao rendimento de grãos, a Rússia está atrás não somente da maioria dos países do mundo, mas até mesmo de outros membros do CIS. Uma possível inferência deve ser feita: se a produtividade de grãos é baixa, então é necessário que haja mais áreas de cultivo em comparação com outros países. Na verdade, a Rússia possui uma das mais altas taxas de campos agrícolas per capita, enquanto a contribuição do agronegócio para o PIB do país é relativamente baixa.

Notadamente, isso pode ser explicado pela deficiência de custos fixos e variáveis por unidade de área de cultivo, em comparação com outros países.

A fertilização é um problema. Por exemplo, o Programa de Desenvolvimento Agrícola e Regulação do Mercado dos Produtos Agrícolas, Materiais e Alimentos para 2008-2012 atribuiu mais de 20 bilhões de rublos para subsídios em aquisição de fertilizantes minerais. Além disso, de acordo com o Serviço Federal de Estatísticas, durante os últimos 5 anos, o uso de fertilizantes cresceu 58%. A previsão do estado para 2013-2020 é de que a quantidade de fertilizantes minerais aumente “de 38 kg como 100% de nutrientes por 1 hectare de cultivo em 2010 para 80-100 kg no futuro. ”

Áreas cultivadas não são um tópico menos importante. De acordo com a pesquisa da Ernst & Young, quase 60% da redução de terras designadas para a cultura de forragem resultou em importação de 500 mil toneladas de grãos por ano na Rússia. Desde 2009, alinhada aos números do Serviço Federal de Estatísticas, as áreas de cultivo de trigo diminuíram 2.1 milhões de hectares em 2010 e 1 milhão de hectares em 2011.

A necessidade de um modo intensivo de progresso se tornou óbvia muito antes da maioria do mundo desenvolvido. Ciência de ponta e conquistas tecnológicas são aplicadas durante o trabalho no campo. O maquinário industrial moderno é equipado com computadores, novas variedades de cultivos são feitas em laboratórios, empresas agrícolas observam as condições da colheita utilizando imagens de satélites.

Hoje em dia, a indústria agrícola dos países desenvolvidos elevou o nível da competição – a competição por eficiência. Se você não pode controlar o preço do mercado, você deve gerenciar o custo da produção. O mercado de produtos agrícolas se tornou tão global que a maneira mais eficiente de gerenciar lucros é gerenciando o custo dos bens manufaturados. Todos os esforços devem ser direcionados para garantir o uso de recursos com a mais alta eficiência trazendo de volta o resultado máximo. Nos países desenvolvidos, essa tendência tem levado ao conceito da agricultura precisa. A agricultura precisa envolve o monitoramento constante do cultivo e do solo para a tomada de medidas operativas que otimizem as condições de áreas problemáticas. Por exemplo, se um certo campo tem áreas de baixa colheita, não é necessário introduzir uma quantidade maior de fertilizantes no campo todo – tratar a área problemática é o suficiente. Isso diminuirá os gastos com fertilizantes, combustível e depreciação, e além disso, será possível usar o equipamento e a equipe em outros trabalhos.

A observação dos campos é feita de diferentes formas: fazendo um contorno em volta dos campos, coletando e analisando amostras do solo, utilizando estações de sensores e fotos aéreas. Na prática global, tem se tornado cada vez mais comum o emprego do monitoramento de colheita por satélite em campos agrícolas de mais de 100 hectares. Imagens de computador processadas por satélite, produzidas por esses sistemas, fornecem um mapa preciso do nível de vegetação em cada campo e permite a tomada de decisão sobre o “ponto” de aplicação do fertilizante, pesticida e outras atividades. Além disso, as fotos do histórico demonstram como os campos germinaram no passado, o que em comparação com as informações atuais, permite uma previsão de produção para o ano atual e seguintes.

Deve ser observado que métodos de monitoramento que diferem dos satélites são mais caros enquanto possuem menor regularidade e frequência de medidas. Todos os dados atuais e do histórico das observações por satélite e sua interpretação automática estão disponíveis em qualquer computador com acesso à internet. O monitoramento de colheitas por satélite também minimiza elementos negativos como o fator humano e, ao mesmo tempo, permite que os líderes de qualquer departamento e os proprietários recebam informações factuais precisas e as apresentem aos seus investidores.

O monitoramento de colheitas por satélite é utilizado com sucesso em muitos países da América, Europa e Regiões do CIS. Os fornecedores de serviços mais famosos e eficientes são Cropio (USA/Alemanha), eLeaf (Holanda), PrecisionAgriculture (Austrália), Vega (Rússia). O uso desses sistemas permite não somente o monitoramento das condições do campo, mas também o recebimento de relatórios e notificações sobre os eventos mais importantes através de e-mail ou SMS em tempo real, para fazer previsões de colheita e economia geral da empresa, receber informações e notícias sobre os mercados agrícolas, taxas de câmbio e dinâmicas de preço, comparar valores atuais e do histórico do índice de vegetação, etc.

Agora, vamos considerar a eficiência do investimento em monitoramento de vegetação por satélite. De acordo com nossa pesquisa, esse serviço custa cerca de U$ 1.5 por 1 hectare/ano, dependendo da área total que é atendida pelo sistema. Ao mesmo tempo, este serviço permite a economia de U$ 3-5 e o ganho de U$ 13 por conta do aumento da eficiência do negócio (este é um exemplo para cultivos de inverno como o trigo). Em outras palavras, cada dólar investido fornece uma oportunidade de ganho 18 vezes maior na redução de custos e aumento da eficiência do processamento de cultivos.

Se uma área de exploração agrícola possui 100,000 hectares de terra, o uso do monitoramento de colheita por satélite pode trazer um lucro de um milhão de dólares, que em comparação é cerca de 10-15 unidades de máquinas agrícolas.

Os agrônomos que utilizam o monitoramento dos campos por satélite aumentam a eficiência e os métodos de gerenciamento, dando eventualmente um “salto” para a era da alta tecnologia. Estes agrônomos podem debater com os colegas do mundo todo em condições de igualdade não somente por conta dos conhecimentos da escola agrícola soviética, mas também pelas conquistas da tecnologia moderna e sistemas de computadores.

 

 

Ganhos Espaciais обновлено: Fevereiro 23, 2016 автором: admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*